Logotipo Chaplim Filmes

Charlie Chaplim conseguia fazer exatamente isso em seus filmes. Majestralmente transformava o “silêncio mudo” em “barulho visual”, através dos seus trejeitos de interpretar uma cena. O olhar do espectador saia de um estado de “acomodação visual” para o da “ação visual”, onde esse podia perceber mais atentamente cada detalhe na cena mesmo através daquela quantidade enorme de tonalidades acinzentada que as Tvs da época mostravam.

O design muitas vezes quebra o silêncio visual que rodeia as pessoas, através das formas, cores, textos, sons, faz com que elas expressem algum tipo de reação. Assim acontece quando o designer gráfico pensa ao projetar um logotipo, pois a ideia é sempre causar uma reação nas pessoas que as induza à ação.

Para construir uma comunicação eficiente, o designer gráfico deve sempre levar em consideração o essencial não importando a peça de comunicação a ser trabalhada. O mesmo ocorre com o projeto de logotipo em que ao apresentar detalhes desnecessários, comprometerá sua reprodução gerando verdadeiras dores de cabeça.

Ao projetar um logotipo pense sempre nas formas e “simplicidade” o que não quer dizer mediocridade, tão pouco a falta de criatividade. Seja prático, descomplique.

 

Conceito

Projetar um logotipo que remeta ao saudoso Charlie Chaplim que deverá conter elementos como o chapéu, bengala e uma película de filme. Usar na cor preto/tons de cinza em todo o projeto, porém para compor a identidade visual, será possível quebrar a monotonia do preto, utilizando outras duas corres ficando isso a cargo e escolha do designer.

 

Processo criativo

O primeiro problema a ser resolvido é qual a tipologia a ser usada? Teria de ser uma que se enquadrasse verticalmente com perfeição com o formato do cabo da bengala e ter uma boa legibilidade para que facilitasse a leitura tanto horizontal como na vertical. Lembrei de que eu já tinha a tipologia guardada o que facilitou. Resolvido essa parte, parti para o design da bengala em si. O próximo passo foi pensar como faria a aba do chapéu, pois a mesma tinha de ser no formato da película de filme, mas não deveria de formas alguma prejudicar a visão da bengala e vice versa.

Fiz vários testes e cheguei a conclusão de que a película que é também a aba do chapéu não poderia ser inteira, teria de ser cortada para quando as peças estiverem juntas formando o símbolo, não houvesse conflito visual entre aba e bengala. Outro detalhe importante foi o famoso bigodinho que teve um corte frontal e foi posicionado para reforçar a imagem do Chaplim quando visto por completo.

 

 

Abaixo vemos como ficou o projeto. As imagens de referência são meramente ilustrativas e não para fins comerciais.

 

 

 

 

Obs.: O trabalho aqui apresentado neste post pertence a Conceber Design Gráfico e está protegido por registro (podemos comprovar) e é válido em diversos países não podendo, ser copiado ou usado sem autorização. Caso haja interesse da parte de alguém este projeto poderá ser comprado. Para isto basta entrar em contato:  blogotipos@blogotipos.com.br

Fanpage facebook: https://www.facebook.com/BlogotiposDiariodasMarcas/

Bem, é isso pessoal. Espero que tenham gostado do post.

Até o próximo.

Willys

Deixe uma resposta